ABATIMENTOS PONTUAIS NÃO PRECISAM SER REPASSADOS PARA ALUNOS DO FIES, EXPLICA DIRETOR EXECUTIVO DA ABMES

24-01-17 FIG 0 comment

Fies-Vagas-Remanescentes

-

A prática comercial adotada no mercado de ensino superior privado se assemelha cada vez mais ao de companhias aéreas, que concedem descontos para decolar com aviões cheios e diluir custos fixos. "Vemos como uma prática comum, o setor conceder descontos à medida que o ciclo de captação avança a fim de garantir níveis satisfatórios de ocupação (semelhante às companhias aéreas) e os estudantes com Fies, provavelmente, podem não desfrutar [dos descontos]", segundo relatório do J.P.Morgan. Ontem, a Kroton, a maior empresa do setor de ensino superior privado, informou que as mensalidades pagas por estudantes que têm Fies são 8% mais altas do que os alunos sem Fies, sem considerar os cursos de Medicina e Engenharia, que são mais caros. Outros analistas têm comparado a política de captação de alunos das instituições de ensino ao varejo, que concede descontos para atrair clientes. As faculdades dão vários tipos de abatimentos nas mensalidades ­ para atrair alunos a cursos e campus com baixa procura ou para pagamentos feitos em dia, por exemplo. A legislação determina que os descontos concedidos com regularidade a alunos sem Fies devem ser dados também aos alunos com Fies. E a fiscalização dessa simetria cabe ao Ministério da Educação (MEC), que formula as regras do Fies. A política mais agressiva das faculdades veio à tona em 2015, quando o governo começou a restringir o Fies. Até então, a dinâmica era outra: primeiro, os alunos se matriculavam na faculdade e depois solicitavam o Fies. Assim, antes de 2015, a tendência era a escola dar condições mais atrativas, com descontos, para o aluno se inscrever. O abatimento e o Fies podiam ser cumulativos, tornando o preço da mensalidade menor. Já no atual modelo, o estudante tenta primeiro obter o Fies e, caso consiga, procura a instituição de ensino. Com isso, esse aluno já chega beneficiado pelo financiamento do governo e a tendência é a faculdade não se esforçar para dar condições tão atrativas como faz com aquele jovem que não tem o Fies. "Os abatimentos pontuais, de caráter individual, como convênios com determinadas empresas, não precisam ser repassados para alunos beneficiados pelo programa estudantil", explica Solon Caldas, diretor-executivo ABMES.


Leave a reply


*